Germinação de espécies de melastomataceas de campo rupestre da Serra do Cipó, Minas Gerais

  • Yumi Oki Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Vanessa da Cruz Carvalho Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Vinicius da Silveira Vieira Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Flávia Peres Nunes Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Letícia Cristiane de Sena Viana Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Geraldo Wilson Fernandes Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
Palavras-chave: adaptação, conservação ambiental, sementes, Serra do Espinhaço.

Resumo

Este estudo avaliou a germinação de quatro espécies de Melastomataceae (Pleroma heteromallum (D. Don) D.Don, Microlicia tetrasticha Cogn, Trembleya laniflora (D. Don) Cogn e Lavoisiera cordata (Cogn) da Serra do Cipó, MG. As sementes foram acondicionadas em placas de Petri estéreis e incubadas em câmaras de germinação a 15, 20, 25, 30 e 35°C constantes e 15-25 e 20-30°C alternados, com fotoperíodo de 12 horas (claro/escuro; escuro contínuo). As temperaturas influenciaram a germinação das espécies, apresentando melhor germinabilidade entre 20 e 30°C e inibição a 35°C. A germinabilidade foi mais alta em L. cordata (84% a temperatura de 30°C) e mais baixa em M. tetrasticha (6 a 11% na temperatura 20-30°C). A boa resposta germinativa sob temperatura alternada evidenciou a adaptação das espécies à variação térmica dos campos rupestres.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-06-15